quinta-feira, 12 de agosto de 2010

P A R A M E G G I E

Sentar pra falar
e tentar escrever
do que vem pelo ar
que a gente tenta ver
entra sem perguntar
no falar, emudecer
rimando o amar
ao sofrer

Sereia dos mares
ressaca em azul
tragando os olhares
canto sem tabu
a mulher em milhares
o pedaço do sul

teu escrever no seu molejo
provoca arrepio
a síncope para o vício lírico
o teu sambar é compasso
da minha rima e do choro

Nas rodas que te envolvem
As rodas de Ciranda
As rodas de Samba
AS rodas de Chima
As rodas de Gira
Sou o que te serve

só sal
sem céu
só mar
sem o seu
saudade
sal do mar meu

Te amo!


[tentativas em homenagem ao seus 24 anos]

4 comentários:

Arthur Dantas disse...

se toda tentativa fosse um sucesso assim!

=D

abraço!

Dan disse...

Muito legal!!!!!!

Pedra do Sertão disse...

Parabéns pela tentativa!!! É muito bom quando se acerta na palavra-amor!

tivinho disse...

se toda tentativa fosse um sucesso assim! (+2)

Presente inesquecível!