terça-feira, 2 de junho de 2009

O frio da saudade.

Fosse aquele edifício lá ao fundo, onde o sol se põe, uma pitangueira, estaria eu então no descampado dos pampas a sorver um mate com Ana Terra.


Quando faz muito frio, o céu de São Paulo permite-se deixar ver sua lua brilhante e suas estrelas. O frio da capital do país deixa o céu ser céu.





(MeggieLetras - e saudade céu azul do sul)

3 comentários:

Dan disse...

Sorver um mate com Ana Terra e com Erico no descampado do Rio Grande com os Cambará, talvez com o Grande Sertão do Tempo e o Vento e Pai Verissímo...
São Paulo tamém rem seus (ceus) atrativos...

Vixuz disse...

Sampa eh assim, tem predios que arranham o ceu da nossa saudade!

Thiaguito disse...

Talvez todos que aqui vivemos sejamos como as estrelas do céu de sampa, ou seja, timidas ou quase ocultas na imensidão mas que emanam no mais simples gesto o brilho da vida.........